Astronauta sobrevoa Sapucaí para levar Grande Rio ao topo

Foto de Marcelo Carnaval

Foto de Ricardo LeoniA Grande Rio veio para fechar o carnaval 2001 com uma surpresa prometida pelo carnavalesco Joãosinho Trinta. A grande novidade foi um dublê treinado pela Nasa para representar um astronauta e sobrevoar o Sambódromo, deixando o público extasiado. O dedo de Joãosinho Trinta - que estreou na agremiação este ano - pôde ser notado em cada detalhe da Grande Rio: da distribuição de flores pelo grupo Tá na Rua aos efeitos especiais nos carros alegóricos falando de paz e do novo milênio.

Parece que o esforço de Joãosinho e dos integrantes da escola surtiu efeito. A pesquisa do Ibope, feita com o público da Sapucaí, deu a Grande Rio nota 9,5, a maior nota da segunda noite de desfiles e que mostra que a imaginação do carnavalesco continua reinando na avenida.

A escola de Caxias apresentou o enredo "Gentileza X, o profeta do fogo", contando a história do empresário José Datrino, mais conhecido como o Profeta Gentileza.

Foto de Domingos PeixotoA modelo Monique Evans, que é evangélica, decidiu participar do desfile da escola porque acredita deve transmitir uma mensagem de paz. Monique caiu no samba com um vestido branco e uma guirlanda na cabeça, representando a gentileza. Antes do desfile a modelo, que tornou-se evangélica e afirmou que não desfilaria mais, declarou que o tema - a história do profeta Gentileza - a sensibilizou.

O ator Miguel Falabella desfilou no chão caracterizado de César. A ex-jogadora Hortência e o ator André Segatti foram as estrelas do carro "O circo de Roma pagã". A alegoria no qual Falabella desfilaria, bateu uma vez num poste antes da entrada na avenida e outras duas na mureta que separa a avenida das arquibancadas e teve problemas durante o desfile.

Joãosinho Trinta participou intensamente da evolução da escola, cantando, dançando e acenando para o público. O carnavalesco emocionou-se com o resultado final de seu primeiro desfile pela agremiação de Caxias.

Americano voador se encanta com o carnaval

Tiago Campante

O desfile da Grande Rio decolou nas costas do americano Eric Scott. Munido de um jato movido a peróxido de hidrogênio, ele espantou o público ao sobrevoar a Marquês de Sapucaí, abrindo a apresentação da escola: era o segredo guardado a sete chaves pelo carnavalesco Joãosinho Trinta. 

Dublê há oito anos, Eric já fez esse tipo de vôo inumeras vezes, mas nunca tinha ido ao Sambódromo, nem mesmo para ensaiar sua participação. Apesar disso, o vôo deu mais do que certo. Levantou o público e deixou o americano, que vinha pela primeira vez ao Brasil, igualmente extasiado. 

- Foi a melhor coisa que já fiz na vida - resumiu o texano de 38 anos. Mas a contribuição de Eric encerrou-se na apresentação de abertura. Afinal, ele mesmo admitiu que, no carnaval, é melhor no ar do que na terra.

 - Não sei sambar, mas estou me divertindo. As mulheres daqui são maravilhosas - rasgou-se.

Joãosinho se emociona no primeiro
desfile pela Grande Rio

Viviane Rosalem

Foto de Fernando MaiaA inspiração veio durante uma olímpíada que assistiu há algum tempo. Mas a idéia acabou sendo deixada para o primeiro carnaval do milênio. Depois de muitas idas e vindas a Dallas, nos Estados Unidos, no ano passado, o carnavalesco Joãosinho Trinta bateu o martelo. Queria inovar na Passarela do Samba com algo que realmente impressionasse o público, e conseguiu. Foi o primeiro carnavalesco a fazer o homem voar na avenida, mostrando o poder da tecnologia nos dias de hoje, e a usar a profecia de Gentileza para chamar a atenção dos brasileiros.

"Deu certo. Pude mostrar nesta grande festa que é o carnaval que o homem não deve se preocupar apenas em buscar o moderno. Deve valorizar a espiritualidade, a paz e a fraternidade", explicou o carnavalesco.

Durante todo o desfile, Joãosinho acenou para a platéia, cantando sem parar o samba-enredo da escola de Duque de Caxias, "Gentileza X, o profeta do fogo".

"O desfile foi maravilhoso", afirmou, caindo no choro, "a criatividade me força a estar com a modernidade mas também penso no homem da terra, nos necessitados, nas crianças", afirmou o carnavalesco, emocionado.