Pantanal vermelho e show de bateria no desfile do Salgueiro

Foto Fernando Maia

O Salgueiro fechou o desfile "No mar de Xarayés, é Pantanal, é carnaval", em 1h15min e surpreendeu o público com a predominância do vermelho nos carros e fantasias - com exceção do último carro, em que o verde deu o tom. Mesmo quando o carnavalesco Mauro Quintaes usou o azul na ala de araras, quebrando o mar vermelho, acabou exaltando a estranheza causada pela falta do verde em um enredo que fala de um santuário ecológico.

Alaor Filho

A escola apresentou um desfile correto, quase descritivo, mas com pouca criatividade nas alegorias e fantasias. O desfile não envolveu a Sapucaí, apesar de a bateria do Mestre Louro ter dado um show a maior parte do tempo.

Foto Leonardo AversaO Salgueiro foi a quarta escola a desfilar na Passarela do Samba. Na entrada da escola, o público agitava milhares de bandeiras distribuídas pela escola aos gritos de "é campeã!".

Muitos carros da escola traziam uma fonte. No segundo carro, "Império inca" foram usados seis mil litros de água. A escola desfilou com 5000 integrantes. A Acadêmicos do Salgueiro se apresentou com duas alas de baianas com fantasias em vermelho e branco.

Foto Marcelo CarnavalA bateria de Mestre Louro, com 250 integrantes, fez três paradinhas mostrando toda a sua técnica. O carnavalesco Mauro Quintaes iluminou os tamborins da bateria, fazendo do instrumento uma alegoria.

O mestre-sala Ronaldinho, uma das vítimas do incêndio no programa Xuxa Park, fez uma bela apresentação ao lado da porta-bandeira Marcella de Oliveira.

Valéria Valenssa, a Globeleza, nua, levou as irmãs, Claudia e Eliane para a avenida.

Irmãs Valenssa esquentam desfile salgueirense

Viviane Rosalem

Entre outras surpresas, o Salgueiro trouxe um trio de morenas que chamou a atenção, principalmente a dos estrangeiros que assistiram o desfile. À frente do sétimo carro da escola, no chão, a globeleza Valéria Valenssa, 29 anos, e as duas irmãs mais novas, Cláudia, 23 e Elaine, 26, surgiram na avenida apenas de tapa sexo e purpurinas pelo corpo. Desfilando pela primeira vez, elas mostraram samba no pé, boa forma e simpatia.

A idéia de pisar na avenida em trio foi de Valéria: "Todas as pessoas famosas dão destaque a algum parente. Como eu tenho duas irmãs lindas, achei que era a hora de mostrá-las e desfilarmos juntas".

"Já sabíamos sambar mas ela é bem rigorosa e colocou a gente para ensaiar", revelou Cláudia. Vítima de uma repentina amidalite, a caçula da família Valenssa desfilou mascando chiclete para evitar que sua garganta ficasse ressecada e a atrapalhasse a cantar o samba.

Apesar de afirmarem que as cirurgias foram realizadas antes do convite, Cláudia e Elaine estavam super preparadas para exibir a silhueta. Enquanto a mais nova colocou uma prótese de 235 ml de silicone nos seios, a mais velha fez uma lipoaspiração na barriga e perdeu quatro quilos. As duas estarão também no desfile da Caprichosos de Pilares.

Apesar de tudo, Valéria foi a que mais fez sucesso na passarela do samba. Quando passou pelo camarote da Brahma recebeu aplausos de atores e atrizes como Paloma Duarte. A Globeleza dançava, posava para fotos, distribuia beijos e ficava de olho nas irmãs. O publico presente na primeira e na última arquibancada foi o que mais a aplaudiu. No final do desfile, as três irmãs saíram de mãos dadas e foram para a Praça da Apoteose, onde enxugaram o rosto e relaxaram.